Uma geração de meninos que não querem virar homens

O fato é que a pressão em cima do camisa 10 da nossa seleção é enorme e não podemos medir o sofrimento dele pós Mundial, porém, é comum que as pessoas que são fãs do seu futebol arte, que torceram, que vibraram, que compraram camisas com o nome do craque se sintam no direito de dar uma opinião. Isso gera uma reação desenfreada de críticas e, muitas vezes, rancor entre jogador X torcedor.

Recentemente fomos atingidos por uma polêmica, o jogador Neymar gravou um vídeo para um de seus patrocinadores em que, respondendo as críticas que recebeu durante o período da Copa do Mundo, afirmou que não consegue lidar com frustrações e que ainda tem um ‘menino’ dentro dele.

Essa afirmação acabou gerando um burburinho gigante nas redes sociais. A citação de Neymar de falar que ainda é um menino (mesmo com 26 anos, um filho e uma merecida fortuna) foi o que rendeu mais compartilhamentos e discussões.

Crescer faz parte da vida de um ser humano, porém, para uns é um movimento simples e natural, para outros, já é um pouco mais difícil. Essa atitude é mais comum do que imaginamos, claro que com o jogador tudo tem uma maior proporção, mas conseguimos encontrar muitos casos de adultos que ainda usam a máscara da juventude para justificar as ações.

Em algumas situações o zelo dos pais é que é o vilão, tornando a pessoa mimada e não deixando- a assumir certas responsabilidades, sempre colocando a falta de experiência por conta da idade como uma desculpa para as suas ações. A infância e adolescência tem um peso enorme na construção da vida adulta, podendo refletir por muitos e muitos anos.

“Hoje em dia os adolescentes estão sendo preparados de uma maneira em que não conseguem desenvolver os próprios potenciais para lidar com as dificuldades da vida. É muito comum na atualidade, os adultos pouparem as crianças e adolescentes das dores do crescimento, e assim, os jovens ficam incapazes de lidar tanto com as sensações internas, quanto com as externas”, explica Débora Damasceno, diretora da Escola de Psicanálise de São Paulo.

Para indivíduos que insistem em tratar a si mesmos como meninos, mesmo com tantas responsabilidades nas costas, é comum que por trás de uma possível arrogância esteja escondida uma enorme fragilidade. Muitos vivem tentando se esforçar para agradar a um todo, e mesmo que consigam atingir o objetivo, ainda se sentem frustrados no seu âmago, o que pode gerar mais problemas quando acontecem desilusões já que é extremamente complicado lidar com decepções e encarar os problemas que todos precisam enfrentar com o passar dos anos, sejam falhas em âmbitos profissionais ou pessoais.

A Escola de Psicanálise de São Paulo possui profissionais altamente capacitados que podem ser fontes e ajudar em matérias relacionadas a esse tema. Estamos à disposição para entrevistas e consultorias.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *