Dermatologista compartilha os cuidados especiais que a pele necessita durante a gestação

A primeira recomendação que a mulher recebe ao tomar conhecimento da gestação, é iniciar o pré-natal. O que pouco se fala, mas é tão importante quanto, é consultar também um dermatologista, uma vez que, por conta de todas as alterações do organismo e hormônios, a pele da grávida necessita de cuidados especiais. A dermatologista Alessandra Toledo compartilha alguns pontos que merecem atenção no decorrer dos nove meses.

O principal deles é se manter hidratada – seja ingerindo bastante líquidos, seja através do uso de cremes e óleos. Na gestação, é mais comum que a pele resseque, mas muitas mulheres também acabam sofrendo com o excesso de oleosidade, que tende a ocasionar cravos e espinhas.

Se realizada por um profissional capacitado, a limpeza de pele é uma ótima aliada no combate a esses e outros incômodos no rosto e pode ser realizada em qualquer fase da gravidez.

Por outro lado, a pele ressecada, o aumento de peso e distensão da pele contribuem para o surgimento das tão temidas estrias. Fatores genéticos também favorecem ou não seu surgimento.

Pós-parto, existem diversos tratamentos que podem ser realizados para seu tratamento. Contudo, durante a gestação o ideal é usar óleos e cremes hidratantes mesmo. Quanto mais recentes as estrias, mais fáceis são de tratar. O dermatologista pode indicar quais os melhores tratamentos a serem feitos após o nascimento do bebê, bem como os produtos indicados para cada tipo de pele das gestantes.

O aumento de peso pode contribuir ainda para uma piora da celulite. Novamente, a ingestão de líquidos e uma alimentação rica em fibras são boas pedidas para sua prevenção. Porém, a drenagem linfática também é uma alternativa e deve ser realizada por um profissional qualificado, tanto semanalmente como quinzenalmente, durante toda a gravidez. O procedimento auxilia ainda a diminuir os inchaços ocasionados pela retenção de líquidos.

Outro item essencial das gestantes é o protetor solar. Na gravidez, é comum que apareçam manchas no rosto, as melasmas (que surgem para proteger a pele dos raios ultravioleta, da luz visível e do infravermelho). O nome pode assustar, mas tem tratamento. Podem ser procedimentos estéticos ou mesmo por via oral, com medicamentos que equilibram os hormônios.

Todas essas alterações na pele tendem a passar e se estabilizar até poucos meses depois do parto, mas se forem cuidadas no decorrer da gestação, podem diminuir ou mesmo serem evitadas na própria gravidez.

Algumas mulheres sofrem também com a queda dos cabelos. Neste caso, isso é mais comum acontecer após o nascimento do bebê. Todavia, em certos casos, ocorre durante sua espera. Como muitos procedimentos devem ser evitados nesse período – como alisamentos, permanentes e outras químicas fortes – o indicado é lavar as madeixas com produtos específicos, evitar prender os fios e fazer hidratações semanais.

Por último, mas não menos importante, está o cuidado ao rótulo de todos os produtos usados na pele – mesmo que já sejam usados pela mulher antes da gestação, uma vez que até mesmo maquiagens e cremes aparentemente inofensivos podem conter ingredientes nocivos ao desenvolvimento do bebê.

Compartilhando com o dermatologista sua rotina de cuidados com a pele e cabelos pré-gestação, o médico poderá avaliar quais produtos podem seguir sendo utilizados e quais devem ser deixados de lado propondo substituições eficazes.

:: Para mais informações sobre a Dra. Alessandra Toledo, acesse: http://www.alessandratoledo.com.br/

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *