Alimentação balanceada é determinante para uma boa gestação

O relacionamento entre mãe e filho começa bem antes do parto. É ao longo dos nove meses que nascem os primeiros laços de amor e carinho. A gestação, tão importante quanto esses sentimentos, é também um momento crucial para a boa formação do bebê que, através do cordão umbilical, recebe os nutrientes provenientes do sangue da mãe.

A Dra. Eline Soriano, médica nutróloga da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN), ressalta a importância do acompanhamento nutrológico nessa fase. “Manter um estado nutricional adequado e um ambiente intrauterino saudável são fatores que contribuem para o bom desenvolvimento fetal”. Para isso, explica, recomenda-se uma alimentação à base de proteína, ômega 3, cálcio, fibras e ferro. “A dieta deve conter macronutrientes, como os carboidratos, lipídios e proteínas, e micronutrientes, como vitaminas e minerais”.

“Uma alimentação saudável contribui para a prevenção de diversas doenças”, ressalta a especialista. “Durante a gestação, existe uma programação metabólica que ocorre no feto. Um meio intrauterino inadequado desencadeia patologias como diabetes, hipertensão arterial, obesidade, dislipidemias e doenças cardiovasculares”, pondera.

A médica nutróloga também alerta para o consumo excessivo de calorias e o ganho de peso na gestação. “Não se deve seguir o ditado popular que diz que a gestante deve comer por dois. Estudos mostram que, no 1º trimestre da gravidez, o valor calórico deve ser igual ao indicado para a população adulta não gestante; no 2º trimestre, deve-se aumentar em torno de 300 a 340 calorias por dia, e, no 3º trimestre, em 350 calorias diárias”.

A Dra. Eline sugere alguns alimentos nutritivos e que trazem benefícios para a saúde de mães e bebês, e ressalta o que não deve ser consumido na gestação.

O que comer?

• Frutas – Vale fazer salada de frutas, consumir in natura, sucos e também misturar com iogurtes naturais.

• Queijos, leites e derivados – Quanto maior esse consumo, melhor para a saúde do seu bebê, por serem ricos em cálcio.

• Raízes – Inhame e batata doce são excelentes opções.

• Castanhas, amêndoas, nozes.

• Verduras e legumes como brócolis, couve flor, cenoura e hortaliças

• Grãos – De preferência os integrais.

• Carnes – Se possível, opte por consumir frango e peixe mais vezes na semana do que a carne vermelha. A carne vermelha deve ser consumida duas vezes por semana.

• Sopas de frango, de carne, sopa de feijão, de palmito, creme de cebola

O que evitar?

• Alimentos crus, pelo risco de infecções, dentre elas a salmonelose.

• Embutidos, enlatados em geral, como mortadela, salsicha, feijões enlatados.

• Alimentos ultraprocessados, como salgadinhos, biscoitos recheados e margarinas.

Sobre a ABRAN

Fundada em 1973, a ABRAN – Associação Brasileira de Nutrologia – é uma entidade médica científica que dedica-se ao estudo de nutrientes dos alimentos, que são decisivos na prevenção, no diagnóstico e no tratamento da maior parte das doenças que afetam o ser humano. Reúne mais de 1.700 médicos nutrólogos titulados especialistas em nutrologia pelo Brasil e mais de quatro mil médicos associados, que atuam no desenvolvimento e na atualização científica em prol do bem estar nutricional, físico, social e mental da população. Visite www.abran.org.br, curta a ABRAN no Facebook facebook.com/nutrologos e no Instagram @nutrologia.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *